VITÓRIAS E PERSPECTIVAS

Acredito que uma das melhores sensações a um cidadão, empresário, que exerça a função político institucional seja a convicção, a certeza, do dever cumprido, cujos resultados de suas ações, quando apoiado de forma irrestrita pelos seus pares, redundaram em harmonia e sucesso a todos do setor.

Pois é exatamente assim que nos sentimos, uma vez que das ações implementadas ao longo dos últimos anos foi possível um cenário cujos resultados inequívocos estão à vista e, sem trocadilho, no bolso de todos.

Alguns leigos, poderiam interpretar estas afirmações como algo que denote intervenção no mercado da concorrência, entre todos que conformam o setor varejista de combustíveis do Distrito Federal e seu entorno.

Ledo engano!

Ao longo de uma jornada intensa de trabalhos, a diretoria do Sindicato se preocupou, fundamentalmente, em criar condições para que os atores do processo de comercialização de combustíveis tivessem um ambiente salutar de negócios, cada um fazendo e exercendo o seu papel preponderante na busca de resultados, que lhe permitissem, cada vez mais, crescer e desenvolver seu patrimônio, de forma honesta, ética e com total transparência.

E assim, sem a menor interferência quanto a custos, preços, entre outros, mas cuidando para que o clima político, a imagem do segmento, o confronto com este ou aquele desavisado e a transferência de informações- públicas, é bom que se destaque – o Sindicato criou um palco adequado para que todos pudessem exercer seu papel contribuindo para a consolidação do desenvolvimento do Distrito Federal e região adjacente.

Trabalho de muito esforço, na maioria das vezes intangível ou não mensurável, pois se trata de consciência e maturidade empresarial, da formação de uma nova cultura desenvolvida  com  maior participação, na busca incessante do novo, do mais confiável e nas discussões do que é melhor para todos, que propicia este atual clima de harmonia na categoria dos revendedores de combustíveis do Distrito Federal, principalmente entre aqueles que sempre apoiaram e acreditaram nesta diretoria.

Um novo alvorecer se descortina no horizonte de todos, com novas lutas e imensos desafios para serem transpostos.

Não há, no Brasil, outro segmento que seja tão fiscalizado e cobrado como o nosso e fomos nós mesmos, instituições representativas do setor que nos últimos anos exigimos, cobramos de forma veemente este acompanhamento da parte do Estado, muito embora, momentos há em que sentimos certos exageros, redundâncias e incompreensões de alguns agentes dos órgãos que nos fiscalizam.

Mas devemos considerar o excesso, algumas vezes praticado, também como uma aura de proteção aos que militam seriamente no setor, maioria dos revendedores espalhados pelo País, que deve estar sempre atenta ao despreparo de alguns órgãos e de seus agentes legais, para que sejam evitadas injustiças e prejuízos a qualquer empresário sério.

Desta forma todos os sindicatos que integram o quadro representativo político de sua entidade maior, a Fecombustíveis, já estão se preparando para enfrentar novos desafios que se apresentam, desde a nova configuração das normas que mais afetam nosso segmento, emanadas da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Combustíveis e Gás Natural) – Portarias publicadas em novembro de 2013, de números 41 e 44, respectivamente – além de dar um tratamento rigoroso nas questões de Medicina, Higiene e Segurança do Trabalho, em função da NR 20, do Ministério do Trabalho e Emprego, que visa, de forma desafiante, porém salutar, preservar a saúde dos trabalhadores que em última instância são os responsáveis por nossas vitórias.

Destacam-se, também, e com a importância estratégica merecida, as questões ambientais que cada vez mais se inserem no cotidiano empresarial, particularmente daqueles que efetivamente têm a consciência da necessidade de adequar suas empresas para um novo cenário procurando, de um lado, proteger sua própria empresa no cumprimento das regras rígidas – que saudável! –  e, de outro, demonstrando à coletividade a rigidez, seriedade e consciência no trato da matéria tão importante e fundamental para a qualidade de vida de todos.

Questões que por si só já demandarão muito esforço e dedicação de todos os pares que representam o setor, exigindo dos membros das diretorias dos órgãos representativos da classe patronal uma postura mais aguerrida e dinâmica para o fortalecimento das parcerias em curso, bem como a consolidação dos acordos técnicos firmados com os diversos representantes legais nas esferas governamentais, local e federal.

Saliente-se, por outro lado, a par das ações permanentes de articulação política institucional, a necessidade de prosseguirmos a jornada desafiante para modernização interna do SINDICOMBUSTIVEIS-DF, criando cada vez mais novas alternativas junto aos parceiros econômicos e financeiros e que sejam representados por ganhos efetivos, na diminuição de nossos custos empresariais.

Por fim, esta categoria, como já dito em outras ocasiões, deixa cada vez mais claro e evidente o seu recado no ambiente empresarial local e nacional, contribuindo de forma ética, transparente e firme, para o processo de desenvolvimento econômico e social do Brasil e que tenhamos neste próximo ano a felicidade de escolha dos novos representantes políticos, dignificando nossas opções de cidadãos cônscios e responsáveis.

Feliz 2014 para todos nós.

JOSE CARLOS ULHOA FONSECA – PRESIDENTE DO SINDICOMBUSTIVEIS – DF